Porque não escrevo

Não escrevo porque estou em casa de férias.

Só que, ao contrário do que possam pensar, não deixo de escrever porque estou atarefada, aproveitando o maior tempo livre pra fazer aquelas coisas sempre adiadas e que nunca temos tempo quando estamos trabalhando.

Não, não… não estou fazendo nada disso, a não ser dormir depois do almoço, que é uma coisa mais que maravilhosa, mas que não contribui muito pra execução de tarefas há muito relegadas a segundo plano. Ah, sim: pra não dizer que não fiz nada nas férias, passei algum tempo procurando um carro pra comprar e, finalmente, troquei de carro. Isso é bom, não é?
Também não é falta de assunto. Tudo bem que ficar em casa não favorece muito ao aparecimento de assuntos, mas nunca fui mesmo uma cronista de situações diárias. As coisas que escrevo são mesmo sem pé nem cabeça e dispensam mote.

Não escrevo porque quase nunca consigo ficar sozinha em casa. E, parece brincadeira, fico constrangida quando estou postando e o povo fica passando em volta, parando pra dar uma olhadinha, dando pitaco.

Pitacos assim, em tempo real, me deixam sem graça. Tudo bem escrever, publicar e depois receber os comentários. Mas esse negócio de estar escrevendo e marido e filhos ficarem lendo por cima de meu ombro – lendo e dando opinião – ah, gosto não!

Sem contar que, pra conseguir um espaço no PC aqui de casa é uma luta. São os meninos querendo jogar, marido querendo ver quais as vantagens do GNV sobre a gasolina, minha mãe querendo conversar pelo MSN… é brabo, viu!

Além disso, ainda tem essa chatísse do TCC que me faz gastar grande parte de minhas queridas férias em pesquisa bibliográfica. Ai, gente, o prazo pra entregar essa buçanha é 30 de maio! Ugh…

Ler blog, também, tá virando tarefa difícil. É engraçado, mas sofro de olhares coercitivos quando abro minha continha no Newshutch pra ver quem atualizou e começar meu Blogroll. Parece senha pra eles pedirem pra eu sair da frente do computador, tipo assim ‘ah, cê já acabou o TCC? Depois você lê isso aí… deixa eu pesquisar no Google, AGORA, qual é a temperatura do rabo do gambá, porque isso é importantíssimo’.

Sim, sim… tá difícil, tá difícil… se tem uma coisa que sinto falta lá do trabalho é ter o PC só pra mim… ai, ai…

*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*:.*:*:*

A cadela-filha tá doida. Até um tempo atrás, ela não podia ver um pão francês. Até pulava na mão da gente pra arrancar o pão. Mas agora ela pega o pão e não come. Fica lá, deitada do lado do pão, lambendo o pão, cheirando o pão. E quando a gente ameaça de tirar o pão dela, ela levanta e enterra o pão no quintal. Tem um buraco cheio de pão lá… ô dó!

Published in: on 23 abril - 2007 at 9:26 am  Comments (24)  

Preguiçaaaaaaaaa!!!!!!!!!

Gente, eu juro que tô tentando fazer o TCC, que estou me aplicando, que estou me esforçando muitíssimo, que tento fazer pesquisa, ler sobre o assunto, me inteirar sobre meu tema, que tenho buscado fomentar a discussão teórica procurando teses contrárias à minha. Juro sim, por esses meus olhos que a terra não há de comer!!!

Mas, putz, agora não tá dando não… vou lá tirar uma soneca…

Published in: on 19 abril - 2007 at 1:57 pm  Comments (12)