Tá brabo!

  • Meu computador tá quebrado; está desde segunda no conserto. Então, nada de MSN, orkut, emêlhos e afins… é que lá no meu trabalho não tem dessas coisas, cês sabem, né?

  • Chapa fervendo lá no meu silviço. Isso significa que está praticamente impossível ler blogs também.

  • O Biajoni já marcou a data para as noites de autógrafo do Virginia Berlim:  7/7 em Limeira (Bar da Montanha, 19h30); dia 14/7 no Rio (local a definir); dia 21/7 em Sampa (Canto Madalena, 19h30). Segundo o Bia, ‘mais informações em breve’.

  • Minha sogra ainda está na mesma. Hoje, Marido vai pra lá de novo.

  • Obrigada por tanto carinho, por tantos comentários solidários. É por isso que adoro vocês! Adoro mesmo!

  • Caraca! Nem contei que Primogênito bateu com o carro!

  • Bom… quer dizer… ele não bateu, propriamente dito, com o carro; falar isso é um pouco de exagero. Ele ia bater num carro que vinha na mão oposta e, pra evitar isso, jogou nosso querido carrinho novinho na calçada.

  • Só que a calçada era alta e quebrou a balança (?) e a coifa (??) da roda dianteira esquerda. Também amassou um pouco a parte da frente do carro, por baixo, perto da dita cuja roda.

  • Bããããoooo… isso nos trouxe um pequeno prejuízo de alguns bons reais, coisa que já estava em falta em nosso harmonioso lar.

  • Sem contar a cueca do Primogênito, que ficou inutilizada.

  • Sabe… o Tribunal tinha que providenciar pra gente assistência psicológica, viu! É muita desgraça, todo santo dia!

  • Ontem mesmo eu morri de chorar aqui com a mãe de um menino de 19 anos que foi assassinado. E olha que meu coraçãozinho é de pedra.

  • A verdade é que é difícil escolher entre chorar com a mãe do menino que foi morto ou com a mãe do menino que matou.

  • Não ia falar nada não, mas o mundo vai acabar, gente. Vai sim…

  • Falando de meninos bons, todo mundo junto agora: PARABÉNS NEUTRON!!!! Esse menino é do balacobaco e conseguiu uma coisa muuuiiiitooo boa pra ele.

  • Só não conto aqui o que foi, porque não sei se já pode revelar o segredo.

  • Por ficar sem internet em casa essa semana, já fiz dois cachecóis.

  • E comprei mais linha pra fazer mais cachecol.

  • Também estudei umas matérias que estava devendo pra mim mesma.

  • A internet é um atraso na minha vida, sem dúvida.

Anúncios
Published in: on 29 junho - 2007 at 3:00 pm  Comments (14)  

Sogra

Minha sogra está muito doente e internada desde terça-feira passada. Ela é bem idosa – 84 anos -, debilitadíssima por uns cinco anos de anorexia e, nos parece agora, está com demência.

Ela pesa meros 35 quilos, está muito fraca, desnutrida e, imagino, desidratada também. E precisa fazer uma cirurgia ginecológica. Só que os médicos temem operá-la nesse estado de fraqueza que ela se encontra. A família, por óbvio, compartilha desse temor dos médicos.

Como era de se esperar, Marido está mal. Além do problema da mãe, ele se preocupa com o pai dele, que é hipertenso e já teve um AVC. Meu sogro, desde que a esposa foi internada, passou mal umas três vezes. É muita pressão.

Primeiro porque minha sogra, lá nos delírios dela, não queria ser internada de jeito nenhum. Então foi necessário que a amarrassem na maca da ambulância que a levou para o hospital. Ela revoltada, gritando, xingando… imaginem a cena. E meu sogro ali, vendo isso tudo.

Depois o plano de saúde – morte aos planos de saúde!! – não quis autorizar a internação, por conta de uma suposta carência que ninguém sabia que existia. Foi necessário meu cunhado buscar uma ordem judicial para que o hospital aceitasse internar minha sogra.

Agora internada, minha sogra está agitadíssima. Precisaram amarrar o braço dela para que o soro não escapasse mais. Marido disse que, de ontem pra hoje, minha sogra não dormiu a noite toda e não deixou ninguém dormir também. Claro que hoje de manhã a pressão do meu sogro estava altíssima. E quando eu falo em pressão alta, é coisa de 24 por 15, coisa assim. Não é pouco não. 

Marido ficou no hospital com a mãe de quinta-feira passada até hoje. E chegou tão abatido. Poxa… doeu meu coração ver a expressão de cansaço e desânimo no rosto dele.

Ele me contou que a família está cogitando internar minha sogra em uma clínica de tratamento para idosos, porque meu sogro está fatigado de cuidar da mulher. Os nervos estão à flor da pele, a hipertensão dele não dá trégua. Marido, que ficou apenas esses poucos dias com a mãe, está exausto. Ele e o irmão acham que, se meu sogro continuar nesta batida, pode ter outro AVC ou até mesmo coisa pior.

São decisões tão difíceis, é tudo tão complicado. O tempo dos filhos e noras é curto e, pra piorar, Marido e eu moramos a duas horas e meia de distância dos meus sogros. Como é ruim isso tudo, gente.

Minha sogra e eu tivemos um convívio muito difícil desde sempre, mas, de uns dez anos pra cá, posso dizer que nos tolerávamos educadamente. Não vou ser hipócrita em dizer que amo minha sogra, que consegui superar todo o ressentimento que tenho dela, nada disso. Mas sofro por ver o sofrimento dela. Sofro mais ainda em ver meu marido, meu sogro e meu cunhado, pessoas que amo muito, tão aflitos.

Ai, gente… é barra…

Published in: on 25 junho - 2007 at 3:27 pm  Comments (28)