Falar de amor

A barriguda mais gostosa do pedaço me designou a tarefa de escrever sobre o amor. Sim, sim, é um même. Não, não, eu não sei escrever essa palavra, mas acho que existe mesmo este acento-chapeuzinho aí. 

Falar de amor é sempre bom. Amor romântico, amor fraternal, amor filial, amor erótico… engraçado é que os gregos criaram uma palavra distinta pra cada um desses sentimentos, o que denota que são coisas diferentes e, em algumas vezes, excludentes. 

Isso quer dizer que é possível sentir um forte desejo sexual por alguém que, por um motivo qualquer, não nos desperta amor fraternal? Mas será que existe romantismo sem sexo? Não sei, há quem diga que sim. 

O fato é que o amor é artigo raro nos dias em que vivemos. Até a chamada “afeição natural” familiar, aquele sentimento que a gente tem pelos pais, filhos, irmãos, marido, esposa e afins, tá em falta. Lá no meu trabalho, por exemplo, tem um processo de um netinho que degolou a vovó porque ela não lhe deu dinheiro pra comprar droga. Pura meiguice. 

Tudo bem que o fato acima é extremo, uma coisa patológica. Mas não é falta de amor pela família quando se justifica tão facilmente casos de adultério, de desobediência e desrespeito aos mais velhos ou de abandono emocional dos filhos, pra não se citar coisas piores? Enfim…

De qualquer forma, parece que o tipo de amor que mais preocupa as pessoas é o romântico. E o bicho pega quando se confunde amor com paixão. Aí pra cima do template tem uma linguetinha que dá num texto que fiz há algum tempo sobre isso, mas vou colar o que escrevi aqui, pra cês não terem o trabalho de abrir mais uma página:

Não gosto da paixão. Não gosto mesmo. A paixão nos traz pensamentos egoístas, pensamentos de auto-satisfação imediata, nos leva a desconsiderar sentimentos alheios, até mesmo os da pessoa que é o alvo da dita cuja. Nada, quando estamos apaixonados, importa mais do que nosso ventre; impressionamente, nem nosso próprio bem estar. A paixão nos faz dar vários tiros no pé. Não me digam que não existe nada melhor do que estar apaixonado, não me digam, porque isso é mentira. Existem mil coisas melhores do que estar apaixonado. Ter amigos sinceros com os quais você pode contar, verdadeiros irmãos, é muito melhor! Ter o aconchego de uma família unida é muito melhor! Amar e ser amado é muito melhor! Sinto muito pelas pessoas que se guiam pela paixão. É se deixar guiar pelo egoísmo. Sofrem e causam sofrimento. Vão se magoar e vão magoar outros. Estão correndo pro lado oposto da felicidade. Sinto muito.

Puzé… mas este texto de hoje faz parte de uma brincadeira e, pra ela continuar, tenho que indicar cinco blogueiros pra falar de amor. Então…

Selph – porque ele vive uma história de amor muito linda, embora tumultuada.

Karateca – porque meu irmãozinho tá quase casando e vai me dar vários sobrinhos, hauahauahauhauahua…

Bodas – porque ele tem a Má e a Má tem ele e eles nos têm e nós todos temos a eles…

Raquelete e Priti – porque elas são blogueiras novas, cheirando a leite ainda, e é bem legal participar de brincadeira de blogueiro. Sem contar que os links delas aqui podem lhes gerar algumas visitinhas, heheheehe…

Upideite de novo: olha, as letrinhas estão cada uma de um tamanho, todas doidas, sei lá por qual motivo. Tentei consertar, mas, como é óbvio, não consegui. Esse wordpresse tá dando pau deste ontem, um saco…

Published in: on 13 julho - 2007 at 3:50 pm  Comments (22)  

The URI to TrackBack this entry is: https://loucaporblog.wordpress.com/2007/07/13/falar-de-amor/trackback/

RSS feed for comments on this post.

22 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Claudia,
    Acho muito difícil falar sobre amor. É quase impossível sermos originais, quase tudo já foi dito. Concordo com você com relação à paixão. Não gosto de estar apaixonado. É como uma doença.

    “Doente de paixão”… é a expressão exata.

    Beijão

  2. odeio memê… odeio memo….

    Ai, patrão! Você é muito brabo, fala sério!!! Même é só uma brincadeirinha….

  3. Ih..assunto difícil demais de explicar!!

    Assunto sem explicação, na verdade.

  4. O que é même???

    Hahahahahahahahahahahahahahahaha!

    Tudo bem, pode não responder a pergunta acima, pq a pergunta que realmente não quer calar é: o que é o amor?

    Sentimento mais tosco, eu hein…

    [nhunf!]

    Ah, Aninha, tosco não é não! O amor é… tuda!!! Huahuahuahuahua…

  5. Eitaaa, falar de amor…
    Vou tentar! Em breve, um post sobre o amor!!

    Ah, e o seu tá bem legal.
    Estar apaixonado é meio estranho mesmo, deixa a pessoa burra!!!
    E ficar burro não é legal…

    Burro, bobo e egoísta… nada disso é legal.

    Bjão

    PS. Obrigada por ter me indicado, as visitinhas lá no blog serão bem-vindas, hehehe…
    PS2. Gostei e adotei de vez o “Raquelete” na blogosfera tb, rsrsrs… Bjssssssssssss

  6. Eu já não entendo mais esse tal amor, viu? Com o passar do tempo fui compreendendo que as minhas teorias eram todas furadas. Mas eu vivo o meu amor, saca? O que eu passo, o que eu sinto e não penso muito mais nos dos outros, assim vou vivendo em paz comigo!

    Segundo Caetano, qualquer maneira de amor vale amar. E se você está em paz, com certeza é amor!

    Adorei esse post!

    beijos, Mamy!

  7. Uauuuuu!!
    Falar de amor..
    Vou ecrever algoo, tomara que fique legall…

    Vai ficar, vai ficar…

    Obrigadaaa.

    bjsssssssss

  8. Tá pronto meu super-ultra-mega post sobre o amor.
    Ficou meio grande demais…

    Já fui lá conferir. Ficou um texto grande, mas, como sempre, super bem escrito. Você é supimpa, menina!

    Bjsssss

  9. Concordo com vc.
    Paixão cega e maltrata. Tudo por conta do egoísmo.
    A única coisa boa da paixão, é q emagrece (no meu caso, lógico).
    E só.

    Bom… como sou uma comedora compulsiva, a paixão me deixa gorda por pura ansiedade…😦

    Sabe q eu tinha esquecido?

  10. Prontoooo…
    fiz o meu…só falta vc ir lá ver….e quem quiser tb..rsrsr

    Vou lá agora!!😀

    bjssss

  11. Ah, sem dúvida eu prefiro muito mais a PAZ do que a paixão, hehehe!

    E quando você estiver amando, você vai ter paz…🙂

  12. Claudia,
    O desamor está em alta ultimamente, conforme voce citou no post, certamente teríamos que falar de amor 24 horas por dia para reverter esse processo.

    Talvez seja esse o objetivo dessa brincadeira. Talvez a gente escrevendo, falando, pensando em amor, a coisa melhore um pouquinho, pelo menos em nossa volta…

    Bjs

  13. A forma mais sublime de amor que existe no planeta, é o amor de amigo. É o amor que eu não quero perder nunca, e o qual eu pretendo levar para o resto da minha vida!
    Mas quanto à paixão… bem, eu não acredito mais nela. Sei [sim, eu tenho certeza], de que não vou mais me apaixonar. Apaixonar é pensar em si, e é deixar-se afetar pelo outro. E eu virei uma ilha, isso é fato.
    Há os que dizem que o amor é estranho, que a paixão é isto ou aquilo… mas eu digo, que a paixão e o amor romântico é algo que não faz mais parte da minha vida.
    Amigos, é tudo o que eu quero pra mim…!

    Bom… concordo com você em gênero, número e grau quanto ao amor de amigos. É tudo nessa vida e pode nos salvar em vários momentos de aflição. E, no meu caso, foi por um grande amigo que, há 21 anos, vi nascer o amor romântico; a gente casou e está junto até hoje. E, sinceramente, acho que se não fôssemos amigos em primeiro lugar, o romantismo não ia dar certo… mas…

  14. Ah o amor…
    Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente, é um contentamento descontente, etc… como diria Renato Russo, parafraseando Camões…
    Ainda preciso de alguns anos de análise para entender o amor. Enquanto isso, fico com Rita Lee: “amor é prosa; sexo é poesia”, embora a prosa, às vezes, seja um tanto prosaica, com o perdão do infame trocadilho.

    Linda, acho que entender o amor não é coisa pra humanos. Ou, quem sabe, a gente só entenda o amor meio segundo antes de nossa morte. Mas, aí, já era…

    Beijo, Clau!

  15. Amor e paixão, tão distintos e tão entrelaçados. Quem ama está apaixonado, pois sofre e se alegra com o ser amado,sacrifica-se por ele, seja amor a Deus, aos pais, aos irmãos, aos filhos, aos amigos e ao sexo oposto. O contrário não é verdade: quem está apaixonado nem sempre ama o objeto da paixão.

    Verdade, Denise, acho que você resumiu bem. Amor é mesmo o “pacote completo”; paixão, não… paixão é só uma parte do sentimento.

    beijo, menina

  16. paixão de tirar o chão é bom, é gostoso, mas é um perigo quase mortal.;0)

    Sei lá, Vivien, sei lá…

  17. Olha, eu sempre falei que pra gente ser feliz não é primordial ‘ter’ alguém. Ajuda, sim, mas não é verdade dizer que é impossível ser feliz quando não se tem ninguém.

    Até porque, pra fazer qualquer pessoa feliz, é preciso estar feliz antes, né? Buscar a felicidade na gente mesmo, pra depois ‘distribuir’ por aí.

    Quem é infeliz por excelência, assim o vai ser sozinho ou acompanhado. A desvantagem é que, quando ele está acompanhado, deixa seu companheiro infeliz também. Um saco…

    Engraçado, você escreveu boa parte do que eu penso, hehe… Seu texto ficou demais, Mamy! \o/

  18. Achei bem legal seu texto! E também me lembro de ter comentado o post anteriormente feito sobre!
    E achei legal a indicação ao Rô!😉

    Estou à espera do texto do Bodas… acho vocês dois juntos uma coisa linda!

  19. Eu cheguei a mencionar que não gosto de memê???? E nem do Lulu Santos!

    Aff, patrão, nem do Lulu Santos?!?!?

  20. *

    “Isso quer dizer que é possível sentir um forte desejo sexual por alguém que, por um motivo qualquer, não nos desperta amor fraternal? Mas será que existe romantismo sem sexo?”

    meu veemente sim para as duas questões.

    Concordo com você. Acho que uma coisa não precisa ter nada a ver com a outra.

    *

  21. Achei bem loco a minha indicação!
    Legal! Escrever sobre tema definido…
    Quase como lição de casa da tia na escola!
    HAHAHAHAHHAHAHA

    Tia Mamy, hauahauahauahua…

    Vamos ver o que que sai disso!!!

    Tenho certeza que vai ser um texto lindo.🙂

    😀 Valeu Clau!

  22. Poxa Mamis, este é o terceiro MEME para o qual sou convocado. Ainda não fiz nenhum.. puaf!

    Não garanto nada, mas ó, falar de amor é uma coisa tão vaga. Talvez eu fale disso abordando um angulo totalmente diferente. Assim, fugindo um pouco do lance homem-mulher. Mas acho bom quem consegue falar desse angulo sem trava nem uma vez.

    Modeeesstoooo!!! Huahuahauhuahua…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: