Ai, ai, ai…

Quando eu era menina e ficava triste por algum motivo, era contrariada ou coisa parecida, me lembro que ia pra cama e começava a cantar “eeeeu sou rebelde porque o mundo quis assiiiim… porque nunca me trataram com amooooorrrr…” e lá ia eu, sentindo pena de mim mesma.

Na altura do refrão – “eu queria seeerr como uma criançaaaa, cheia de esperaaança e feliiiiiz…” – eu já estava aos prantos, me sentindo a mais sofredora das criaturas na face da Terra. Soluçava alto, agarrada ao travesseiro. Imagina se eu fazia drama, né?

Mas, de verdade, já naquela época, não tinha muita vocação pra tristeza não. Essa minha auto-comiseração durava o tempo da música, ou menos ainda. Aliás, o normal era eu dormir antes de acabar a canção. E no dia seguinte já estava boazinha, feliz, feliz.

E olha que eu acho bonito essa coisa de melancolia. É tão chique a pessoa ser assim meio sorumbática, taciturna. Putz, mas sou uma riso frouxo, tô sempre com os dentes amostra, insana. Qualquer bobagem me faz gargalhar.

Há uns tempos encontrei um amigo que é super sério. A gente foi tomar um café juntos. Eu toda feliz, rindo à toa, porque estava ali com meu amigo. Ele também estava feliz, eu sei. Mas ele não sorria. A gente conversou pacas, ele contou muita coisa. Ele falava e eu ria. Só eu ria. No final, já estava me sentindo uma débil. Meio patético.

Tudo bem. É uma coisa boa ser alegre, não é? Pois é…

Anúncios
Published in: on 29 julho - 2007 at 12:45 am  Comments (18)  

The URI to TrackBack this entry is: https://loucaporblog.wordpress.com/2007/07/29/ai-ai-ai/trackback/

RSS feed for comments on this post.

18 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Bom, eu sei que eu dei umas boas risadas lendo seu post! haha

    Era hilário mesmo.

    Mas… eu sou do tipo que ri muito tbm, [era, na verdade] e eu costumo rir ainda mais quando estou nervosa! hahaha Apresentar trabalhos na faculdade era uma tortura, eu começava a rir no meio de algumas apresentações, quando eu me sentia mais nervosa!

    Sou a campeã de gargalhada nervosa!

    Então, bom domingo pra ti! Beijocas!

  2. É… Caraca, mó coincidência vc falar disso.

    Você também escreveu sobre isso? Ué?!? E eu não vi?!?

    Mas eu tb não tenho vocação nenhuma pra ser triste. Aliás, é um saco ficar triste. Mesmo! Eu vi num filme uma coisa assim: “Sinta a dor. Abrace-a. Descarte-a.” É mais ou menos isso. A gente fica numa deprê do cão, que dura no máximo dois dias, chora chora e chora, mas depois é bola pra frente, pq ficar triste é mto chato.

    Chatéééérrimoooo!!!!

    Bjsssssssssssss pra vc!!

  3. Eu também cantava essa musica!!! E também não sei ser sorumbática, nem taciturna…

    Caraca, essa música era tuda, né não?

  4. No meu ambiente de trabalho eu sou tido como pertubardor da paz e tumultiador…
    Por que rio muito e brinco em voz alta…

    😀

    Esse tipo de tumulto é uma delícia!

  5. Eu tb vivo rindo e acho que isso é muito bom. Mas, qdo eu fico triste, normalmente não dura só o tempo de uma musiquinha…[e eu ri pra caramba da sua musiquinha!]

    Você tem que ouvir a Lilian (da dupla Lenon e Lilian) cantando isso. É depressão terminal!

    =**

  6. Sorrir é bom… gargalhar melhor ainda… adoro brincar com as coisas e adoro que me façam rir (já disse para o Rô que estou com ele só por causa disso). 😀

    Como não se apaixonar por quem nos deixa tão felizes?

    Eu sou tida como calma por muitos… difícil me ver sair da linha… nem na hora do desespero, nessa hora fico ali, durona…
    Acho que cada um é de um jeito, né? Ainda bem!

    Frieza na hora da crise é uma benção, Má.

  7. *

    lilian e lenon não é auto-comiseração.
    é tortura no mais alto grau.
    na verdade vc é sádica: punia quem te contrariava desafinando essa pérola do cancioneiro popular.

    Nada! Eu sou afinadinha… huahauahuahauahauhaua

    e não te preocupa, não.
    eu também rio de tudo.
    e alto, muito alto.
    tem gente que não gosta.
    ou acha que é provocação.
    cada um com seus problemas.

    Cada um com seu cada um…

    *

  8. Hahahahahahaha!!!!
    Até imaginei você pequenininha berrando essa música. Na sala devia ficar o Vôvy e a Vóvy gargalhando de ti.

    Não, não… eu cantava baixinho… era meu “fundo musical” pra momentos tristes. Só que Vôvy e Vóvy morriam de rir de mim, porque eles íam no quarto e viam isso… ai, ai…

    Tomara que o meu sobrinho não aprenda!!
    Mas é bom mesmo ser alegre. E conseguir botar a alegria pra fora, mesmo parecendo uma debilóide.

    Cê me viu de perto, né maninha? E como a gente riu, benza Deus!

  9. Primeira vez que eu vejo uma pessoa alegre e contente desejar ter depressão porque acha bonito…! O.o

    Você se enganou… não desejo ter depressão nunca. Não acho depressão uma coisa bonita. Queria ter o poder de “tirar com a mão” a depressão de dentro de quem a tem…

  10. vc é única….rs

    Heheheheh…

  11. Ah, menina, eu também faço o tipo sério, mas se alguma coisa me fizer rir, é gargalhada mesmo. Já minha irmã ri à toa, impressionante!
    As pessoas se espantam mesmo com quem dá gargalhadas em alto som, principalmente se for mulher, já é logo tida como histérica.

    Histérica, descontrolada… ai, ai… o que a gente não tem que suportar, né?

    beijo, menina

  12. Nossa, eu lembro bem, viu… você era tão manhosa… Ahh, bons tempos, bons tempos… [*suspiro nostálgico*]

    Você é doooiiiidooooo!!!! Huahuahuahua…

    😛

    Sabe que eu acho mó legal o jeito como você lida com essas coisas? Até mesmo aquela sua frase de “pára de frescura!”, que eu adaptei para “vai arrumá o que fazer, muleque” quando tô de mimimi, hehehe…

    Gente! É que eu não me aguento com a minha própria frescura…

    Essa força pra levantar dos tombos mostra força; é bem melhor estar sempre rindo do que ficar jogado pelos cantos, né? 😉

  13. Ah, rir é sempre bom.. Eu tambem vivo rindo à toa, e acho que sou até pior pois só de me lembrar de qualquer coisa engraçada, que eu rio de novo, onde quer que eu esteja (até no ônibus).

    Mas acho que é bom, né? Porque todo mundo já fez ou vai fazer papel de bobo na vida, eu apenas faço um pouco mais.

    Esse seu comentário me deu uma sensação de deja vú…

  14. Sou sorumbática sim, mas não em público!

    Ai, Deus… e esse seu último texto publicado me arrepiou, sabia?

  15. Nããão.. eu não escrevi sobre isso não, é q eu tava triste esses dias… Mas, como eu sou eu e eu odeio ficar triste, passou rapidinho!! Ahh, e só pra constar nos anais dos blogs, eu adorei essa palavra : SORUMBÁTICA, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…
    Bjsssssssssssssss

    “Sorumbática” é uma palavra terapêutica, huahuahauhau…

  16. Hahahaha! Igualzinho a mim…

    Rindo retardadamente, principalmente em pontos de ônibus. 😛

    Huahauhauahuahuahuahau…

  17. Eu já conheci pessoas que contam piada e não riem.

    São algumas das pessoas mais engraçadas que eu já vi na vida!

    E o pessoal do meu trampo diz que eu tenho algum problema mental grave, pq quando eu começo a rir SEM MOTIVO ALGUM, eu não paro mais.

    Mas se eu fico triste, eu fico realmente triste, me afundo na tristeza. Mas não gosto desses dias. Eu como demais nesses dias! Nhunf…

    Eu como muito em TODAS as ocasiões… droga…

  18. Vem pra cá rir comigo, que eu não me importo. Aliás, eu rio de tudo full time.
    Beijos

    Vamos ser duas bobas alegres, rindo de tudo!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: