Sem computador em casa…

… e odiando com todas as forças todas as lan houses da cidade.

É claro que não fui a todas elas; na verdade, só fui naquela que já estou acostumada, aquela em que os meninos gritam sem parar e o som berra no último volume música eletrônica. Sim, sim, eu me odeio.

Então, é isso… não tenho como alongar meu tempo aqui. Por isso, comportem-se.

Anúncios
Published in: on 26 janeiro - 2009 at 11:52 am  Comments (6)  

Nojo

Aí que o indivíduo bate na porta da minha sala de trabalho. E não entra. Odeio isso… minha mesa fica longe da porta, caceta, porque não bate e abre? Não… não abre e tenho que parar o que estou fazendo pra andar até a porta e abri-la.

Aí que o sujeito se apresenta como jornalista de um diário da região – aliás, não sei por qual motivo se chama “diário”, já que não é essa periodicidade da folha –, que ficou no lugar do pai dele que morreu (“ahn?!?”) e que o tal jornaleco era o representante d’O Globo na cidade (duplo “ahn?” agora, uma vez que O Globo também circula por aqui), um blábláblá sem fim que, aos poucos, vai ficando impossível de acompanhar.

E, enquanto ele falava, eu só queria sair do raio de alcance do bafo de cigarro do dito cujo, sem conseguir despregar os olhos dos dentes mais amarelos que já tive a oportunidade de vislumbrar, rezando pra que o moço adquirisse, como num passe de mágica, o dom da concisão, o que, obviamente, não aconteceu, já que minhas orações não são mesmo ouvidas há tempos.

Aí que peço pro jornalista esperar, pois meu chefe está atendendo dois advogados e o cara senta em uma das cadeiras disponíveis na minha sala e começa a chupar os próprios dentes, como se tivesse acabado de comer uma empada e quisesse aproveitar o resto da massinha que ficara por ali, como despojo.

 

Published in: on 19 janeiro - 2009 at 7:57 am  Comments (14)